FAE

área restrita
10/02/2017

Sou FAEx!

Saiba como ética e valores humanos podem impulsionar a carreira, com Cassiano Tonon, ex-aluno de Administração da FAE

Sou FAEx!
Ele é jovem, tem apenas 29 anos, mas já ocupa a posição de gerente financeiro da segunda maior cervejaria do Brasil. Cassiano Tonon, natural de Curitiba, concluiu o curso de Administração na FAE em 2009. Desde então, teve um crescimento profissional rápido e sólido, uma trajetória de sucesso que ele atribui ao esforço pessoal, mas principalmente aos valores éticos e humanos aprendidos com sua família e também durante a sua formação educacional com base em princípios franciscanos, que teve início no 1.º ano do Ensino Fundamental, no Colégio Bom Jesus Centro.

Ficou curioso? Então confira, a seguir, o depoimento completo que Cassiano concedeu à equipe do Programa de Relacionamento com Ex-alunos da FAE (FAEX).

Amigos na faculdade

“Muitos conhecidos, mas poucos e bons amigos, porque em qualquer lugar é assim. Mantenho bastante contato com estes e inclusive dois deles são meus padrinhos de casamento. Momentos marcantes de que me lembro foram: a mudança para o campus Cristo Rei (fomos a primeira turma, não tinha ninguém de graduação lá. Tinha pizza e nessa época eu não precisava me preocupar em comer quase toda noite – bons tempos...) e o TCC – aliás, estes mesmos padrinhos me devem aproximadamente 80% até hoje. O aprendizado que tive uso constantemente nos meus desafios profissionais.”

Trajetória profissional

“Há um mês, assumi a posição de gerente financeiro sênior no Grupo Petrópolis, segunda maior cervejaria do Brasil (Cervejas Itaipava, Crystal, Petra, energético TNT, entre outras marcas) respondendo pelas células de tesouraria, contas a pagar, contas a receber e crédito, com um time de aproximadamente 40 pessoas. A sede corporativa da empresa fica em Boituva, interior de São Paulo e estou morando em Sorocaba. Desde que me formei, em 2009, morei em Joinville, voltei para Curitiba em 2012, depois morei em Alphaville (SP) em 2015 e agora estou em Sorocaba há um mês. Em minhas aventuras corporativas em busca do crescimento acelerado, passei (além dos programas de estágio do HSBC e trainee da KPMG), pela Tupy SA como analista financeiro sênior, Grupo Boticário, como consultor financeiro, Azul Linhas Aéreas, como coordenador de tesouraria, e Tecsis, como gerente de tesouraria”.

Formação humana

Foram tantos anos de imersão nesta cultura que sinceramente tenho dificuldade de distinguir qual parte da minha educação de base foi mérito do BJ (Bom Jesus) e o que foi da minha família. Talvez seja isso mesmo que BJ e FAE tenham em comum: um compromisso que vai além do ensino técnico e forma pessoas de valores sólidos. Na minha posição hoje, tenho certeza de que essa formação que tive tanto pela minha família quanto por BJ e FAE foi crucial: ninguém coloca um financeiro com giro de mais de 10bilhões de reais/ano na mão de alguém que seja somente tecnicamente bom. Precisa ter confiança.

E o engraçado é que tudo que aprendi, tanto no colégio quanto na faculdade, posteriormente passei e continuo passando por testes específicos. Meus conhecimentos técnicos foram testados, mas meu caráter principalmente.

Uma situação interessante aconteceu em 2015 e exemplifica muito bem isso: para assumir uma cadeira de gestão de tesouraria, tive que passar por um processo rigoroso de background checking de uma empresa internacionalmente conhecida por isso. Verificaram absolutamente cada linha do meu currículo e investigaram até informações pessoais da minha família. Além disso, passei por um teste de aderência ética, incluindo uma entrevista presencial com uma psicóloga para identificar o quão fiel eu era aos meus valores e se eu não me venderia para ter algum benefício pessoal. Ela já sabia mais da minha vida do que eu (e até hoje não sei como teve acesso a determinadas informações) e veio com perguntas diretas e bem customizadas do tipo: "e se em uma negociação com um banco, oferecerem a você o motor de kart que você tanto sonha, você não dá uma força para ele? Ah, para, ninguém é tão certinho assim". Hesitou? Está fora. O desfecho foi bem interessante: eu era o número dois para a vaga, mas entrei na empresa porque o número um não passou nesta fase”.

Educação continuada

“Logo que me formei, iniciei uma especialização em Finanças e um MBA em Gerenciamento de Projetos ao mesmo tempo. Terminei apenas o MBA e pretendo retomar alguma especialização, talvez um mestrado, mas isso só em 2018. Em 2017, quero me desenvolver como líder e pretendo buscar alguma formação em coach”.

A FAE também quer contar a sua história!

É ex-aluno de graduação ou de pós-graduação da FAE e tem uma história interessante para contar? Então, entre em contato com a equipe do FAEx pelo e-mail faex@fae.edu ou pelo telefone (41) 2015-4147 e compartilhe com a gente!



Palavras-chaves: Alunos FAE, Carreira,




Comentários desta notícia:


Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Faça o seu comentário:


Seu nome:
Seu e-mail:
Digite o código ao lado:
Sua mensagem:

FAE