Notícias

07.11.2016

Internacionalização de empresas e negócios por meio de cooperação e de alianças


Confira o artigo do professor Antoninho Caron
Confira o artigo do professor Antoninho Caron

Por Antoninho Caron


O objetivo desta reflexão é pensar sobre alternativas de negócios em tempos de economias globalizadas, abertas e competitivas.

Nos tempos atuais, em decorrência do processo de intensas invenções e inovações, de globalização e da dinâmica dos fluxos de internacionalização dos capitais financeiros, produtivos e da comercialização de insumos, bens semiacabados e prontos para o consumo, as relações econômicas internacionais se tornaram complexas e competitivas.

Se no passado recente (anos de 1960/70/80) o sucesso empresarial era conquistado por meio do lucro obtido pela exploração de muitos ramos de negócios, nos tempos atuais (início do século XXI), o lucro e o sucesso estratégico de crescimento e sobrevivência das empresas são conquistados mediante parcerias, alianças, cooperação estratégica, networking, teamnets.

A performance da estratégia bem-sucedida não é uma questão de tamanho e de empresa grande, mas sim de agilidade e rapidez em perceber a oportunidade e agir estrategicamente para tirar proveito dos novos negócios, percebidos e gerenciados. O sucesso não é questão de tamanho e sim de agilidade. Não é questão de ser grande ou pequeno, mas de ser rápido.

Nesse cenário, a autonomia e o andar “solo” impedem a visão de novos horizontes, próximos ou distantes. As novas fronteiras de oportunidades são visualizadas no exercício da interdependência e da “cooperação”, da percepção do contraditório, do impensado. Sonhar com o que ninguém sonhou. Lembrando o pensamento de Santos Dumont, é “ousar o que ninguém ousou. Realizar o que ninguém realizou”.

Hoje, não basta ser bom, é fundamental estar entre bons. O sucesso da empresa já não é mais apenas uma conquista das competências e estratégias da empresa individual como navegadora solitária no mar revolto da economia competitiva e internacionalizada.

O sucesso hoje é resultante de interdependências, complementaridades produtivas e parcerias estratégicas e não mais consequência da competência autônoma e independente da empresa; é, sim, “causa causada” pela concentração no core business da empresa e a complementação de fatores econômicos de insumos, tecnologias, capitais, riscos como causas compartilhadas entre fornecedores, distribuidores, financiadores, stakeholders.

O sucesso é causa compartilhada entre economias nacionais e economias internacionais. Já não se discute se o objeto de conquista é o mercado nacional ou o mercado internacional. O que se busca são estratégias de crescimento e sobrevivências em mercados competitivos e internacionalizados.

A oportunidade de negócios para as empresas é sempre oportunidades nascentes em descobrimento. As oportunidades de sucesso executivo, profissional são caminhos construídos em parcerias e alianças.

Antoninho Caron é doutor em Engenharia de Produção, mestre em Desenvolvimento Econômico, administrador e professor de Economia e de Negócios Internacionais nos cursos da pós-graduação da FAE.



Compartilhe: