Notícias

03.03.2016

Economia brasileira: um duelo mexicano


Segundo o economista Gilmar Mendes Lourenço, governo federal precisa superar dificuldades internas e externas para a retomada do crescimento econômico
Segundo o economista Gilmar Mendes Lourenço, governo federal precisa superar dificuldades internas e externas para a retomada do crescimento econômico
Para o economista Gilmar Mendes Lourenço, a presidência da República vive, desde 2015, uma espécie de “duelo mexicano” dos filmes de western. Segundo o professor da FAE Centro Universitário, o embate ocorre entre os poderes executivo e legislativo, com ataques e contra-ataques que têm atuado direta e negativamente na manutenção da economia brasileira. De acordo com o especialista, o Brasil vive o mais longo ciclo recessivo da história, pois de abril de 2014 a dezembro de 2016 a economia do país apresentou uma queda de -9,5% na taxa de variação do produto interno bruto (PIB).

“Fazendo uma projeção realista, acredito que a economia brasileira apresente uma melhora apenas a partir de 2019, considerando-se uma estabilização da relação entre os poderes federais e a entrada de novos investimentos no Brasil”, disse o especialista durante palestra realizada nesta quarta-feira (2), no Teatro Bom Jesus, em Curitiba, para alunos da FAE e público em geral.

Aos estudantes que acompanharam o evento, o professor da FAE lembrou que a população jovem é a grande protagonista de uma aguardada superação da atual crise econômica. “Precisamos de profissionais capacitados para atuarem de maneira inovadora no mercado, trazendo novas soluções e rumos para a economia”, afirmou.

O evento foi organizado pelo curso de Ciências Econômicas da FAE, uma das graduações mais tradicionais do Brasil e pioneira no Paraná. Saiba mais sobre o curso aqui.




Galeria de fotos






Compartilhe: