Notícias

29.08.2018

FAE e Bom Jesus pelo humanismo solidário na educação


Tema foi abordado no II Congresso Nacional de Educadores Franciscanos
Tema foi abordado no II Congresso Nacional de Educadores Franciscanos
A formação humana na educação deve ir além do indivíduo e não ficar apenas no discurso, mas despertar nas pessoas uma sensibilidade que provoque ações solidárias, fraternas e urgentes para os mais fragilizados. Esta foi uma das muitas reflexões registradas no II Congresso Nacional de Educadores Franciscanos, realizado de 27 a 29 de agosto, em Anápolis (GO).

A primeira edição do evento ocorreu em 2015, em Curitiba, e foi sediada pelo Grupo Educacional Bom Jesus. Neste ano, a Instituição participou novamente do encontro, auxiliando na organização, no patrocínio e na programação das atividades com professores e profissionais administrativos da FAE Centro Universitário, do Colégio Bom Jesus e da Editora Bom Jesus.

Neste ano, a equipe da Pastoral da Educação da Conferência dos Frades Menores do Brasil (CFMB), responsável pelo evento, apresentou como tema central para debate “A Educação Franciscana em Prol do Humanismo Solidário”. De acordo com Frei Claudino Gilz, professor e representante do Grupo Educacional Bom Jesus na CFMB, o humanismo solidário é mais do que uma temática, é um desafio constante.

“Temos observado que, cada vez mais, essa consciência sobre o humanismo solidário tem sido uma realidade em todas as nossas unidades de educação, seja na FAE ou no Colégio Bom Jesus. Contudo, nunca temos que nos dar por satisfeitos naquilo que já fazemos em prol da comunidade, mobilizando professores, alunos, famílias, que conosco congregam dessa missão, desse sonho de tornar o mundo mais humano, justo e fraterno para todos”, afirma Frei Claudino.

Desafios do nosso tempo

Embora o objetivo final da educação seja claro, como é possível praticar uma pedagogia humana e solidária em meio a uma sociedade com os valores cada vez mais invertidos? Segundo a gestora do Colégio Bom Jesus São José dos Pinhais, Stela Regina Gressler Wontroba, que ministrou uma oficina no evento, a resposta passa pela vitalidade do carisma franciscano.

“Vivemos um tempo de graves desafios e novos cenários. É urgente recuperar a vitalidade do nosso carisma. Precisamos pensar a escola além dos muros e questões cotidianas. A pedagogia humana e solidária nos propõe o ser humano como o centro do processo educacional e nos desafia a educar nossos alunos a partir de novas relações: consigo mesmo, com os outros, com Deus e com a casa comum”, defende Stela.

O Grupo Educacional Bom Jesus também foi representado no Congresso Franciscano pelo seu diretor-geral, Jorge Apóstolos Siarcos, pelo gerente regional do Colégio Bom Jesus, Muriel Pinto Amorim, e pelos profissionais da Editora Bom Jesus Márcia Schmidt, Cristiane Carvalho Tonetti e Ricardo Vicki.

*Fotos: Danilo Inacio Pereira.



Galeria de fotos






Compartilhe: